Um olhar pela semana (que foi boa)

sábado, novembro 28, 2015

Cortei, novamente, um dedo. Não é que isso seja o ponto forte da minha semana mas como é algo tão recorrente, resolvi dar-lhe um minuto de fama para ver se estas macumbas conseguem largar de mim. E ah, apareceram uns novos hematomas (coxas, pernas e na mão esquerda) que eu não sei a proveniência mas desconfio que seja do meu jeito desastrado de andar e do meu corpo volumoso que sai a bater pelos cantos e esquinas e por mesas, bancos e cadeiras. Além disso, fiz o exame do colesterol e "pimba". Estou com o nível de colesterol um pouco alto e estou numa tentativa de deixar de comer tantos ovos a ver se isto diminuí porque: 1. eu já não como fritos (ok, é raro) e 2. eu pratico actividade física 3 a 4 vezes por semana. Por causa do colesterol fui impedida de fazer a cavitação na Opencel. De novo, sai de mim macumba.

Sendo assim, tive a minha primeira sessão de radiofrequência + pressoterapia na clínica Opencel e tenho a dizer que adorei a experiência e estou ansiosa pela próxima semana e por começar a ver os resultados. A radiofrequência é a coisa melhor de sempre, adoro aquele quentinho pela barriga e a sensação de estar a pensar nas células adiposas a diminuírem de tamanho para acabar com a celulite e trazer firmeza à minha pele. Já a pressoterapia confesso que a minha claustrofobia atrapalhou um bocado as coisas nos minutos em que fiquei sozinha na sala e presa naquela máquina sem me poder mover, nem para coçar o narizinho. Mas nada que não fosse controlado e com uma música relaxante de fundo, o tempo voou e ficou tudo bem. Saí relaxada, descansada e sobre este assunto vou falar mais a respeito, é claro, depois de mais sessões porque apenas uma não dá para tirar mais conclusões.

Fiz umas compras. Um blanket scarf, umas pantufas e dois pares de calças da H&M. Como disse no instagram, para alguns isto é só uma coisa estúpida. Mas, para mim, foi uma vitória enfiar-me num par de calças da H&M. E ponto. O meu peso continua uma desgraça mas o treino no ginásio tem dado resultados em termos de medidas. É super frustrante mas tenho tentado pensar que o músculo é que está a tomar conta da gordura por isso diminuo o volume mas, ao mesmo tempo, mantenho o peso corporal. Ao menos a força de pernas tem aumentado: ontem fiz leg press com 80kg e hoje custa-me a subir escadas. 

A minha vida social foi redescoberta às quartas de noite. Não é que agora eu, a Andreia e a Vanessa estamos todas viciadas no Quizz Dr. Why? Ganhamos uma narguile para a próxima quarta-feira só por termos ficado em 6º lugar! O trabalho continua na mesma e a vida amorosa vai muito bem, obrigada. 

E foi mais ou menos isso. Estou com saudades de ler um livro, de tratar do meu cabelo que está uma desgraça e estou com vontade de começar a fazer as wishlists para o Natal já sabendo que não vai passar disso mesmo: uma lista de desejos.

Como foi a vossa semana? Contem-me coisas e continuem a seguir-me lá no facebook que vou postando coisas aleatórias por lá.

quarta-feira, novembro 25, 2015


Um amor chamado blanket scarf.

Beleza

Rouge Infusion, Sephora

domingo, novembro 22, 2015

I'm a sucker por batons, dificilmente consigo resistir em adquirir um novo e os meus favoritos são os líquidos que secam mate e eu não preciso de ficar a retocar os benditos 24/7. Mas, por vezes, os meus lábios - ou consoante o meu humor - pedem por um batom mais leve mas que, ao mesmo tempo, tenha aquela assinatura de cor que eu gosto de usar (e abusar): é muito difícil ver-me de batom claro, rosinha ou entre esse esquema de cores.

Blablablabla à parte, há coisa de um ano atrás a Sephora lançou uma nova colecção de batons do tipo "líquido": os Rouge Infusion e eu fui obrigada pelo bichinho da maquilhagem, a comprar só para experimentar

Primeiro de tudo: a marca diz que é um batom estilo lip stain e que dura horrores nos lábios. Nããããããão. Não dura tanto assim e basta comer e limpar a boca ao guardanapo para dar tchau à cor do batom; mas se mancha (stain) os lábios? Mancha, sim senhor. Fica sempre aquela corzinha de ar saudável na boca independentemente da cor usada. Assim que percebi isto e não fiquei à procura que fosse um batom que me desse cobertura a 100% e que durasse o dia inteiro (para isso existem os cream lip stain que são ó: maravilhosos), passei a adorar estes Rouge Infusion e já adquiri 5. Ok, um deles foi a Andreia que me ofereceu só porque a fiz gostar deles, também.


Eles são fáceis de aplicar, têm uma cobertura óptima (embora não seja a 100% e tenham uma consistência tipo gloss), duram bastante (a não ser que se limpe a boca a alguma coisa), transferem um bocado (tchau beijinhos) mas são uma excelente opção para quem não quer ter aquela boca chamativa e capaz de dar uma chapada na cara da sociedade. 

Acho o preço caro: rondam os 13 euros cada um; mas comprando em promoção por 6,90 euros faz bem até à alma. 

Facebook

terça-feira, novembro 17, 2015

Estou comprometida em manter actualizada a página do blogue no facebook. Quer dizer, ela já está criada há cerca de um ano e nunca tive a paciência para ela. Hoje firmei um compromisso, a ver se não falho.

S'imbora, dêem o vosso like. Fico muito agradecida.

Saúde

Sobre a primeira avaliação no ginásio

segunda-feira, novembro 16, 2015

Primeiro de tudo e agora que a Andreia está de férias, esta semana vai ser para arrasar! O ginásio vai ser visitado todos os dias de manhã, menos na quinta-feira porque quarta queremos ir arrasar de noite. Assim esperamos, então tchau preguiça e olá energia e disposição. Segundo, já passou um mês desde que iniciei a minha jornada pelo mundo da actividade física e inscrevi-me e comecei a frequentar o ginásio. Hoje, de manhã cedo e antes de mais um treino - que cada vez é mais intenso e eu adoro - pedi para me fazerem a primeira avaliação. Geralmente, depois de um mês de ginásio, é feita a avaliação para saber como estão a correr as coisas e alterar, ou não, o plano de treino para mais facil e rapidamente atingir o meu objectivo. 

Fiquei muito feliz com os meus resultados. Embora em questão de peso real na balança a diferença não ter sido quase nada e o meu peso andar a oscilar loucamente (mesmo assim, tive uma queda da % de massa gorda e um aumento de % de massa magra), o facto é que as medidas falam por si. E eu já tinha reparado porque na zona da cintura a minha roupa está cada vez mais larga e, visualmente, pareço mais "fininha". Mas é claro que a fita métrica iria ditar a verdade verdadeira.

O meu peitoral perdeu cerca de 3 centímetros. Os meus braços mantiveram os seus centímetros mas o antebraço diminuiu 0,5cm em cada um. As minhas coxas perderam 2,5cm em cada e a barriga da perna 1cm cada. Os meus glúteos perderam 3cm. A maior diferença está na zona abdominal: 5cm na linha da cintura e no abdómen 12 centímetros a menos. (Disclaimer: há um mês o meu instrutor ao tirar as medidas deve se ter enganado ao digitar as mesmas no meu registo, ter carregado num número ao lado do outro ou sei lá. De um mês para cá houve uma diferença de 22 centímetros na barriga mas, como achamos ser demais, tiramos 10cm. Então ficamos e concordamos com o valor de doze centímetros a menos na zona do abdómen/barriga)

Pode não ter sido muita diferença em um mês (quer dizer, a barriga foi um sucesso! Bendita elíptica e abdominais) mas é de salientar que eu não fui treinar todos os dias. Nestas 4 semanas só me comportei muito bem em duas semanas, hahaha. Mas, mesmo assim, estou super orgulhosa de mim mesma pelos resultados e só contribuiu para que eu ficasse mais motivada ainda. Já não bastava a sensação deliciosa do suor na t-shirt e da pele molhada, o ambiente incrível que vivo no ginásio com pessoas super simpáticas, ainda tenho resultados destes. Faz-me ter a certeza que estou no caminho certo para uma maior qualidade de vida. 

"Sê melhor que a tua maior desculpa"

E aí, já fizeram exercício hoje?

Beleza

Colaboração | IrresistibleMe Hair Extensions

sábado, novembro 14, 2015

Há uns meses atrás eu publiquei sobre o facto de ter aceito uma parceria para o blogue com uma empresa americana. Revelei que era algo que eu gostaria de adquirir e experimentar e, por essa razão, decidi aceitar. A empresa, IrresistibleMe Hair Extensions, contactou-me via e-mail e ofereceu-me as extensões que eu escolhesse, o tamanho e a cor e, em troca, eu teria que fazer uma resenha no blogue. 
Posto em "pratos limpos", demorei horrores a publicar isto. E porquê? Porque quando eu recebi as extensões, o meu cabelo vermelho já tinha desaparecido e, entretanto, perdi a vontade de fotografar ou de tirar um tempo para pintar as extensões e estilizar as mesmas de um jeito que ficasse mais natural no meu cabelo. As semanas passaram e o meu cabelo que estava abaixo do peito, foi cortado um pouco abaixo dos ombros e decidi curtir o corte curto e não queria mais saber de cabelos compridos. Contudo, por vezes, bate aquela saudade... não é? E imaginem, eu, que vivi anos e anos de cabelo compridão! A saudade do cabelão foi o mote para eu tratar de pintar as extensões, cortar e repicar e poder usar - de vez em quando. Por um acaso, esses dias a Andreia ofereceu-se para me fotografar com as extensões e, finalmente, depois de cerca de dois meses desde que as recebi da IrresistibleMe, posso vos contar tudinho.

A empresa, sediada em Nova Iorque, vende extensões de cabelo 100% humano assim como acessórios, aparelhos e cuidados de cabelo. Eu adquiri as extensões de cabelo da gama Royal Remy na cor rosewood, 60cm e 200gramas. O set vem composto por 10 peças de extensões em clip o que é um absurdo de cabelo! Só para terem uma noção eu só necessito de usar 4 peças de extensões para obter o efeito volumoso no cabelo que aprecio. 

O meu cabelo curto
O meu cabelo com as extensões de cabelo já pintadas de uma nova cor para condizer com o meu cabelo, cortadas e onduladas
Como podem constatar, o efeito é muito natural. Eu uso apenas 4 peças e é o suficiente para não me sentir desconfortável. O meu cabelo natural é fino e ralinho e mais que os 4 clipes de extensões, causam-me um desconforto descomunal. Assim, para mim, é suficiente e creio eu que o efeito é lindíssimo. Vale a pena ressaltar, também, que sendo estas extensões de cabelo 100% humano, elas podem ser pintadas, descoloradas, podem ser lavadas, penteadas e ainda é permitido o uso de calor. No caso, nas minhas e nestas fotos, eu usei um babyliss para fazer uma leve ondulação para não ser assim tão diferente do meu cabelo au naturel. A aplicação é muito fácil, assim como a sua remoção. Enfim, são perfeitas para quem gosta de mudar de visual.

O preço das extensões varia consoante a linha e o tamanho destas mas, sendo de cabelo 100% humano e não algo que se encontram nos chineses, é normal que o preço seja mais puxadote. Mas são um investimento a longo prazo para quem vá fazer uso delas.

Quero agradecer à IrresistibleMe Hair por me ter dado a oportunidade de experimentar o seu produto e, claro, pela confiança! 

Já agora, o batom usado é o "Fandango Purple" da linha Matte Me da Sleek MakeUp, o top é da H&M (L), o blazer preto é da Primark (UK 16), as calças são também da Primark (UK 16).

O que vocês acham de extensões de cabelo? Usam? Usariam? 

Beleza

Colaboração | Opencel Braga São Victor

quinta-feira, novembro 12, 2015

Promover o bem-estar, a beleza e também a saúde é uma das coisas que me faz melhor e faz-me sentir muito bem. Desde Março/Abril deste ano que eu tenho vindo a perder peso devido à minha mudança de hábitos alimentares e de actividade física e, sem pensar em nada além da minha saúde, chamei a atenção da clínica Opencel Braga, em São Victor, que me contactou para um patrocínio com o fim de ajudar-me a atingir os meus objectivos e sentir-me cada vez mais bonita. Estou deveras feliz e agradecida por esta oportunidade. Nunca na vida fiz tratamentos estéticos (tirando as limpezas faciais com a querida Andreia) e, mesmo com todo a ansiedade, decidi apostar e aceitar esta oportunidade.

Hoje fui não só conhecer o espaço mas também fazer a minha avaliação para fazerem-me o plano de tratamento a ser seguido. Foram-me explicado os vários tratamentos que a clínica disponibiliza e, mais concretamente, os 3 tratamentos que se adequam mais ao meu caso de querer reduzir medidas, peso e acabar com a gordura localizada: a cavitação, a radiofrequência e a pressoterapia. 

Muito resumidamente (e até fazer uma publicação mais aprofundada e contando a minha experiência),

... a cavitação é uma técnica de ultra-som que aplicada sobre uma certa área (pernas, abdómen, braços...) actua no tecido adiposo e destrói a membrana das células de gordura, libertando-a. Assim, esta gordura com a ajuda de uma boa alimentação, exercício físico e o consumo de água em abundância consegue ser eliminada eficazmente do nosso corpo. (É claro, não esperavam um milagre, certo?)

... a radiofrequência tem como finalidade estimular a produção de colagéneo na pele para evitar a flacidez que é consequência da perda de medidas pela queima da gordura. Ou seja, tem um efeito reafirmante. 

... a pressoterapia é o mesmo que uma massagem de drenagem linfática só que é mecânica. Tem a finalidade de drenar o corpo e é essencial após a cavitação para ajudar na libertação da gordura. Tem efeitos terapêuticos e é uma mais valia contra a retenção de líquidos.

Vou começar os tratamentos na próxima semana. Contudo e MUITO IMPORTANTE, preciso de primeiro fazer um pequeno exame aos níveis de colesterol, que não faço já tem um tempinho. Se tiver o colesterol muito alto não posso fazer a cavitação.

Além de tratamentos de redução de medidas, a Opencel disponibiliza ainda serviços de depilação, branqueamentos dentários, tratamentos capilares, tratamentos de rosto e outros de corpo e o melhor de tudo a preços low-cost! Sabiam que lá 30 euros pagam cinco (5!) tratamentos por sessão?

Visitem o site oficial e a página do facebook da Opencel Braga São Victor para mais informações.

Para já, fica a minha ansiedade e excitação para a próxima semana e o orgulho de sentir que estou a promover saúde, bem-estar e beleza: só coisas boas. 

terça-feira, novembro 10, 2015

"Tu tinhas medo de sair da tua zona de conforto. Mas tu saíste e te mantiveste forte. Fazer a reeducação alimentar, ir para o ginásio, encarar a obesidade como tu fizeste (e fazes) é só uma das coisas. Começar a trabalhar também foi sair da tua zona de conforto; no fundo tu não eras super obrigada a fazer isso, não é? Mas tu foste e fizeste isso muito bem. E aí, tu ainda voltaste aos estudos com responsabilidade também. O que também foi um auto-desafio. Tu tinhas saído daquele meio e é difícil voltar para lá depois de dois anos parada e ainda mais para as matérias complicadas do final. Mas tu foste, saíste-te muito bem e licenciaste-te. E ainda posso ir mais para trás. Tu antes não te cuidavas assim: eras "normalzinha", vestias-te bem normal, não te maquilhavas, não buscavas chamar a atenção e ao longo dos anos, foste desenvolvendo essa confiança em ti; e ela só é construída porque tu te desafiaste. Eu tenho a certeza que não foi fácil sair em público com a primeira maquilhagem, a primeira roupa mais apertada até porque tudo o que fazemos pela primeira vez causa aquele desconforto de "será que vão aprovar?". E enfim, tu evoluíste nisso e hoje até és exemplo para outras pessoas e mesmo que não sejam muitas, não precisam ser. E tu também tinhas muito medo de viajar, não é? E eu entendo, tu nunca foste de viajar: a tua família nunca foi assim e tu não cresceste com isso. Tu não tinhas experiência de viagens nem com países vizinhos e atravessaste o oceano sozinha para ir para o país enorme que é o Brasil. Mas tu foste e tiraste o melhor proveito disso tudo: colocaste como objectivo e fizeste. E eu gosto de ver que tu não és acomodada, que te tens desafiado ao longo dos anos e tem sido cada vez mais ousada. É com uma pessoa assim que eu gostaria de casar, alguém que tem medo de se arriscar mas que, ao menos tempo, tem coragem de ir; que quebra as paredes da zona de conforto para ver o que tem além."


Livros e leitura

As gémeas do gelo

segunda-feira, novembro 02, 2015

Desde que vi este livro como sugestão na revista Activa de Novembro, não me aguentei e tive que dirigir-me a uma livraria e comprar o livro. Li-o em três dias bem espaçados, entre as correrias do dia-a-dia com as horas ocupadas e enquanto lutava para poder respirar entre as frases e os capítulos deste querido.

Lutar para poder respirar? Sim. Este livro é sufocante. Mas sufocante no bom sentido. Assim que se começa a ler é difícil de parar e mesmo agora, depois de já ter terminado, ainda sinto que estou assombrada pelo que acabei de ler. Queria saber mais.


A história desenrola-se no seio de uma família, os Moorcroft, na Ilha de Torran (Trovão) na Escócia, a sua nova casa para fugir a Londres onde existiam memórias tristes e relacionadas com a morte da gémea de Kirstie, Lydia, filha de Sarah e Angus. A dada altura, a pequena Kirstie revela à mãe que é a Lydia e quem morreu foi a Kirstie e é a partir disso que o leitor é sugado pela dúvida e pela vontade de descobrir quem das gémeas afinal faleceu na queda da varanda, porquê e em que circunstâncias. 

Sinopse oficial: Lydia e Kirstie tinham 6 anos e eram gémeas idênticas. Quando Lydia morre acidentalmente na queda de uma varanda, os pais mudam-se para uma pequena ilha escocesa, na esperança de reconstruírem, com a filha que lhes resta, as suas vidas dilaceradas. Mas um ano depois, a gémea sobrevivente acusa os pais de terem cometido um erro e afirma que quem caiu da varanda foi Kirstie e não ela.Na noite em que uma tempestade assola a ilha e deixa mãe e filha isoladas, elas dão por si a serem torturadas pelo passado e por visões inexplicáveis, que quase as levam à loucura. O que terá acontecido realmente naquele fatídico dia em que uma das gémeas morreu?
 
Confesso que à medida que ia lendo, parecia que eu quem poderia ter escrito este livro. O autor da obra, S. K. Tremayne, explorou todas as situações que me vinham à mente e anulava-as quase que no mesmo instante. Contudo, o fim foi totalmente inesperado e não sei se estou muito satisfeita com ele; como disse, ainda estou assombrada por estas dúvidas todas.

Não obstante, é um livro que gostei muito de ler e recomendo-o aos fãs de thrillers e histórias de suspense.

Enterrei Outubro

domingo, novembro 01, 2015


Eu gosto muito do Halloween e, nessa data, procuro sempre fantasiar-me de alguma coisa. Este ano, não foi diferente e mesmo às 3 pancadas lá consegui fazer o meu capuz vermelho e a maquilhagem de um lobo (o lobo mau, hahaha) num dos lados do meu rosto. Porque eu queria ser uma Little Red Wolf. Entre uivos, música, amigas e bebida assim passei o meu Halloween 2015. Foi um máximo e recomenda-se.

Eu sei que ando distantinha aqui do cantinho, peço desculpa.