sábado, janeiro 31, 2015


Por onde anda a Catarina? Algures entre o livro de Direito Internacional para o exame de segunda-feira, entre o trabalho no restaurante e também entre os últimos preparativos para a viagem da próxima sexta. Ufa! Vou conseguir.

Até lá, continuação de um bom fim-de-semana.

terça-feira, janeiro 27, 2015


Odeio ficar na espera de alguma resposta. Odeio quando sou respondida a tudo e mais alguma coisa, menos ao que especificamente pergunto. Não sei relaxar quanto a isto, não sei respirar. É algo que me consome e muito. 

The Strawberry Award

segunda-feira, janeiro 26, 2015


O blogue "The Mind's Portrait" nomeou-me para esta tag à qual respondo com o enorme prazer. 

Regras: 
Dizer quem te nomeou e colocar o link de quem te nomeou; 
Colocar a foto de um morango;
Nomear no mínimo 5 blogs;
Responder a todas as perguntas.

Qual é o teu fruto preferido?
Gosto muito de laranjas, bananas, melancia e melão.
O teu nome do meio?
Eu tenho apenas um nome próprio: Catarina. Depois, os restantes, são apelidos.
Qual o nome que gostavas de ter?
Quando era pequena tive uma pancada qualquer em que queria chamar-me Jéssica. Passou, amém. Hoje em dia, eu adoro o meu nome.
Em que mês fazes anos?
Abril.
A origem do teu blog?
Eu tinha um blogue anterior a este mas deixei-o ao acaso por não ser bem o que pretendia que fosse. Assim, em meados de 2014, com saudades de escrever e na necessidade de ter o meu cantinho para ir partilhando os meus devaneios e até os meus gostos, as minhas experiências... nasceu o Une Tulipe Jaune.
O porquê de teres criado o teu blog?
Pela saudade e vontade de poder voltar a ter o meu espaço na blogosfera. Não existiu mais nenhum porquê para isso. Tem gente que cria um blogue com intenção de trabalho, parcerias, ibope e receber coisas e dinheiro... eu excluo-me desse grupo. (Embora, caso um dia alguém venha ter comigo com essa intenção, talvez eu pondere no assunto, ora pois!)
Data de criação do teu blog?
Não sei o dia. Mas Junho de 2014.
Blog preferido (tirando o teu)?
Bom, apesar de nutrir um carinho especial pelos blogues da minha lista de leitura... os meus preferidos são o Sem Tempo, o Lucky 13, o Brisa Passageira, o Duía. São blogues que visito sempre e dá-me um enorme prazer ler cada publicação - mesmo sendo meio silenciosa e não estar sempre a comentar.
Passatempos?
Não tenho muito tempo para me dedicar aos meus hobbies mas... Ver séries, filmes, novelas no youtube (essa bem recentemente!), maquilhagem e reviews de maquilhagem, o blogue, ir às compras, sair para dançar, cantar, ouvir música... etcetcetc.
A origem do nome do teu blog?
Digamos que, em um momento de pouca inspiração, pensei na minha flor preferida - a tulipa de cor amarela - e decidi dar-lhe um toque francês para tentar dar um ar chique. Não? Ok. Mas é isso. É o nome da minha flor favorita.

Vou ser rebelde e não vou nomear ninguém em especial. Sintam-se livres para responder esta tag e para me nomear para outras, caso queiram!

domingo, janeiro 25, 2015


Hoje lembrei-me de um dos primeiros posts do meu blogue. Este.

Mais amor próprio, por favor. Amem-se.

Correrias da viagem...

sábado, janeiro 24, 2015

Quem me segue sabe que eu queria muito visitar o Rio de Janeiro um dia e, sabe também, que eu consegui riscar esse item da minha bucket list no final do ano de 2014, quando consegui comprar a passagem para o início de Fevereiro. Faltam, oficialmente, menos de duas semanas.

A menos dessas duas semanas eu sinto-me em pulgas. Apesar de quando pequena ter viajado de avião, soa como a primeira vez e sinto receio. Eu sou claustrofóbica e depois de acabar o meu tratamento com antibiótico por causa da amigdalite, preciso de ir na farmácia ver se me recomendam um calmante. E também necessito de tampões para os ouvidos. Segundo dizem, a diferença de pressão é horrível. Bom, eu não sei. A viagem vai demorar cerca de dez horas o que, para a "primeira vez" no avião, soa a muito. Sem falar nos aeroportos, eu aposto que vou sentir-me uma barata tonta à procura de tudo e mais alguma coisa. Ainda por cima sozinha e envergonhada para pedir ajuda a alguém desconhecido. Sou muito noob para estas coisas. Dá para notar, não é?

A mala está quase feita e foi bem fácil. Na verdade, apenas tive que passar as minhas roupas de Verão - aquelas que vou querer usar, é claro - para a mala. Contudo, ainda me falta comprar algumas peças como um par de jeans novo. Quanto a calçado, preciso de sandálias e uns ténis. As havaianas já estão comigo. Alguma maquilhagem já está separada, também. Quanto à mala de mão, nada feito.

Numa nota mais séria, como no Brasil a moeda não é a mesma que a portuguesa, tenho que comprar reais brasileiros. De dia para a dia, o euro baixa cada vez mais então aqui a Catarina tem duas hipóteses: OU espera por um milagre para que o euro consiga voltar a valer 3,3 reais OU compro já antes que desça para 2,5 - o que está mais perto de acontecer. Continuo à espera do milagre mas já coloquei em meta comprar os reais até dia 3 de Fevereiro. No máximo dos máximos e seja lá como for.

Quanto às comunicações, o meu telemóvel é bloqueado à Vodafone. Preciso desbloquear para poder comprar um cartão de uma operadora brasileira para poder comunicar livremente e sem muitos custos. Eu não me imagino a gastar 5€ por cada 100KB de internet nem a ter 2,25€ cobrados por cada chamada que faça para o país lusitano.

Ao menos, acho que já arranjei quem me leve desde Braga ao Aeroporto do Porto. Digamos que, dado que o voo é de manhã bem cedo, não me apetece acordar o meu pai para me fazer levar... Coitadinho, tirá-lo do sono. Eu cá acho é que naquela quinta para sexta não vou é pregar o olho. Nem pensar.

sábado, janeiro 24, 2015


O melhor contador de histórias é o meu pai. Adoro ouvi-lo contar as suas próprias histórias, da sua infância, da adolescência, de adulto. De como era bem antes de sequer pensar que eu poderia um dia existir. Qualquer momento é oportuno: um almoço, um jantar, o momento antes dele dormir onde eu lhe faço massagem nas suas pernas cansadas do dia de trabalho. E nunca são repetidas, todas as vezes é um deleite ouvi-lo. E conta e ri e faz-me sorrir.

sexta-feira, janeiro 23, 2015


Na definição do conceito Catarina, uma das palavras seria "detalhe".
Sou apaixonada por detalhes.
Pelo tom da voz, pelo brilho do olhar, pelo calor do toque, pelo sorriso escondido.

Serviço de saúde público em Portugal

quarta-feira, janeiro 21, 2015


Já é sabido que nesta época de baixas temperaturas as pessoas ficam doentes mais facilmente. Agora, o que me alerta, são as notícias: não há vagas, as pessoas são empurradas de posto médico para posto médico, os hospitais estão cheios, as pessoas morrem na espera das consultas de urgência e esperar cinco ou dez horas para ser atendido tornou-se normal.

É óbvio que quem quer ter um serviço de saúde mais personalizado e rápido, paga bem para isso. Existe o hospital privado e existem também planos de saúde com subscrição mensal. Mas existem também os nossos direitos e os impostos que pagamos para que o serviço público de saúde seja, no mínimo, decente. Mas não o é.

Ontem, com febre e de garganta cheia de pus, dirigi-me ao meu centro de saúde para uma consulta de urgência. Ponto 1: para quê ter médico de família se ele nunca está no centro quando preciso? Se quero marcar uma consulta com ele, só para daqui a 3 meses. Não faz sentido. Ponto 2: Como assim, são 15h, a sala de espera tem 3 pessoas sentadas e a menina da secretaria diz-me "Volte amanhã que já não temos mais vagas. Ou a partir das 20h diriga-se a outro centro de saúde."? Não têm mais vagas?! Voltar amanhã?! Se eu vou para uma consulta de urgência, vou voltar amanhã? Ponto 3: Enfrentar uma fila enorme ao frio, na rua, sem deixarem os utentes entrar para a sala de espera até serem 20h? Se os acompanhantes não estava doentes, 1 hora ao frio para garantirem a chamada vaga, com certeza ficaram...

É uma vergonha.
A consulta de urgência num centro de saúde está a 10,35€. Quem for pobre, morre.

Estive duas horas à espera para a minha consulta demorar cerca de 3 minutos. O que vale é que o antibiótico custou menos de 3 euros.

quarta-feira, janeiro 21, 2015


O lado bom e ao mesmo tempo mau de estar doente - oh, querida amigdalite bacteriana que não me visitavas há 3 anos - é ficar na cama o dia inteiro. Sem sair para trabalhar, sem fazer nada. 

Haja amoxicilina e ácido clavulânico + paracetamol para curar a minha maleita.

Post Scriptum: Não teve um dia em Janeiro que eu estivesse 100% saudável ainda. Alguma bruxa olhou-me! Nossa senhora.

quarta-feira, janeiro 21, 2015


Saudade é melhor do que caminhar sozinho.

quinta-feira, janeiro 15, 2015


Faltam 3 semanas para a cidade maravilhosa
Antes preciso de passar por um exame de Direito Internacional Público. E onde está a vontade para isso?

Book | Contos Completos dos Irmãos Grimm

quarta-feira, janeiro 14, 2015


Quando eu era bem pequenina, lembro do meu pai oferecer-me uma maleta em cartão com um conjunto de livros pequeninos e ilustrados dos contos dos irmãos Grimm. Lembro de logo eleger o Rumplestiltskin como o meu conto favorito mas de vibrar muito com a Rapunzel e a Branca de Neve. Ou o Capuchinho Vermelho. Depois de mudar de casa, nunca mais vi essa maleta de cartão mas lembro-me dela como se fosse hoje, incluso o cheiro dos livros e a textura almofadada deles. É claro que era uma leitura muito infantil, adaptada destes contos, mas eu simplesmente adorava e posso dizer que eu cresci a ouvir e a ler estes contos - ou alguns deles, pelo menos. Quem nunca ouviu contos dos irmãos Grimm, mesmo?

Ora, agora com mais 20 anos em cima, deparei-me com este livro da Círculo de Leitores por um preço muito barato e, nostalgia ou não, resolvi adquiri-lo. O design do livro atraiu-me logo e agora que o tenho em mãos estou apaixonada. O livro é um conjunto de 3 volumes de contos dos irmãos: tem exactas mil páginas, pesa 2kg - sim, eu pesei-o hahaha - e é recheado com os nossos contos infantis mais famosos, outros menos e - o diferencial - fica-se pelas anotações ao lado das outras versões dos contos que vão variando de boca em boca. 

É, sem dúvida, um livro daqueles de colecção que fica bem em qualquer estante. Num futuro, vejo-me sentada na cama ao lado dos meus filhos, com o livro no regaço e a contar uma destas histórias. Enquanto isso, eu mesma vou voltando à minha infância e descobrindo detalhes novos dos contos.

sexta-feira, janeiro 09, 2015

"Quando for a hora, vou prestar concurso para a Petrobras. Aí o emprego será no Rio de Janeiro e teu sonho de morar lá (comigo) será realizado."

... Estas pequenas coisas.

Música

TAG | O meu gosto musical

terça-feira, janeiro 06, 2015

Roubei - definição para "peguei depois de me darem liberdade para isso" - esta tag do blogue Brisa Passageira porque me pareceu divertida de responder. Deste modo, vocês podem conhecer um pouquinho melhor do meu gosto musical... Isso, claro, se for do vosso interesse. Será que temos coisas em comum?

1. Qual o teu estilo musical preferido? 
Não tenho um estilo musical preferido na medida em que consigo ouvir e desfrutar da música em geral.
2. Qual o teu cantor ou banda preferido?
É difícil escolher mas quanto a cantores gosto muito do Damien Rice e do James Morrison. 
3. Qual o estilo musical que menos gostas?
Eu desfruto da música toda em geral mas raps e músicas de festas rave estão no top dos "dispenso ouvir".
4. Uma música que te faz chorar.
Ora bem... A Accidental Babies do Damien Rice é uma das músicas que me dá vontade de chorar. Na verdade, enfiar-me na cama, enrolar-me no cobertor e só ficar a chorar. Significa muito para mim - pelos piores motivos.
5. Uma música que marcou um momento na tua vida.
Quando a minha mãe faleceu, pessoas queridas fizeram-me um vídeo de apoio ao som da "Keep Holding On" da Avril Lavigne. Nunca vou esquecer disso quando oiço a música.
6. Qual é a música que andas a ouvir muito ultimamente?
Animals dos Maroon 5. Viciei.
7. Três artistas que gostarias de ver ao vivo?
Damien Rice, James Morrison, Alter Bridge.
8. A música que lembra a tua infância.
A "Lambada". Chorando se foi quem um dia só me fez chorar...
A minha mãe cantava muito este hit dos 90's e ela até me costurou uma saia bem rodadinha que eu adorava dançar a música para fazer girar. Mas tem várias: Super Trouper dos A-Teens (não dos ABBA) e uma vergonhosa: O Bicho do Iran Costa.
9. Uma música que melhora o teu humor.
Se for a pensar em relaxar... A Comforting Sounds dos Mew. Fico nova depois de ouvir. Mas psiu, tem que ser a versão de 9:27min.
10. O teu filme favorito em música de banda sonora?
Eu adoro os covers do Pitch Perfect. Conta? [2] Repito a resposta do Jota. Ansiosa para o filme 2. Quem mais?
11. Que tipo de música gostas de ouvir quando estás triste?
Mais música de fossa. E para quê, não é mesmo?!
12. Em que momento ouves mais música?
Durante o dia já ouvi mais...
13. Que música gostas de cantar em voz alta? O meu cérebro tem vida própria e, todos os dias, lembra-se de uma música diferente para eu ficar a cantar em voz alta e assustar toda a gente - mentira pura, eu canto bem.

Respondam a TAG. Vou adorar ler as vossas respostas.

Beleza

Sleek Matte Me in Fandango Purple

domingo, janeiro 04, 2015


Depois de experimentar os lip cream da Sephora que eu tanto amo, andei à procura de batons parecidos que satisfizessem as minhas necessidades: um batom mate, de longa duração, bem seco, sem transferir e me dessem a sensação de nada dos lábios.

Tinha comprado, uma vez, praticamente a colecção inteira dos da MUA - os Velvet luxe - e apesar das cores serem lindas, odiei o efeito nos meus lábios. Pegajosos, não secavam em condições, transferiam e, se roçasse os lábios uns nos outros, simplesmente saía todo como se estivesse a esfarelar-se. Graças, consegui vender estes batons que seriam de todo inúteis para mim e quando dei de caras com estes Matte Me" da Sleek Make Up, resolvi comprar apenas um para experimentar e não ter que ficar com mais batons parados.

Adorei. Escolhi a cor "Fandango Purple" que era a cor desejo do momento (não está nada fiel na foto mas fazer o quê?) e o batom é fácil de aplicar, dura várias horas, sobrevive às bebidas sem sujar o copo, sobrevive às comidas - que não sejam muito gordurosas - é a prova de beijos, não transfere e não pesa nos lábios. E nem se desfaz. Ou seja, perfect!

O preço também é amigo, custam aproximadamente 7€ cada por 6ml contra os 11,90€ dos lip cream stain da Sephora.

sábado, janeiro 03, 2015


Não é que eu não tenha qualquer tipo de controlo sobre o meu futuro. Contudo, hoje em que me pus a pensar quão frio está a fazer, dei por mim a desejar morar numa cidade bem quente onde haja mais dias de sol e calor do que aqueles de chuva, tempo nublado e um frio insuportável. Quem sabe, um dia?

Suitcase

sábado, janeiro 03, 2015


Faltam 34 dias. Já comprei a minha mala. Não é linda, pequena e florida como a da imagem... mas é vermelha. Recusava-me a ter uma mala preta, cinzenta ou azul marinho pelo simples facto de que 80% das malas são nessas cores. Pensem numa pessoa ansiosa? Agora acrescentem dois níveis de ansiedade. Já estou com vontade de fazer a mala, vejam lá se pode isso? E a minha desculpa é que, como só vou colocar lá roupa de Verão, seria a desculpa para organizar o meu armário para o frio que por cá continua. Mas não. Tenho que me aquietar antes que me dê o fanico. Os próximos planos são de comprar coisas para a mala... nomeadamente sacos a vácuo, necessaires, frascos em travel size, bolsas e bolsinhas e vou ficar mais do que feliz em compartilhar estas coisas com vocês. 

Agora contem-me: têm alguma mala? Como ela é?

Fotografia

Instax Mini 8

quinta-feira, janeiro 01, 2015


Sempre quis ter uma Polaroid daquelas bem antigas, gigantes e que provavelmente deixaria como um item de decoração da minha casa; um dia. Contudo, no início do ano velho vi um vídeo promocional sobre a Fujifilm Instax Mini 8 e entrou logo para a lista dos meus desejos. Acabei por a comprar em Maio e dei-lhe o nome de Anabela - porque eu tenho o costume parvo, ou não, de dar nome às coisas. Para iniciar este ano, vim fazer uma pequena resenha sobre esta máquina que eu sei que muitos de vocês a têm na wishlist. 

Eu comprei a minha porque queria muito mas precisei de ponderar muito bem as coisas. A máquina não é barata por si só mas, o pior e o que é necessário para que a máquina funcione são os filmes e o preço destes. É um vício muito caro de manter. Cada foto sai em média por 0,80€ e eu aposto que ninguém quer a máquina para estar simplesmente parada a um canto. Eu queria usar muito a minha mas, com a consciência de que se os filmes acabam eu preciso gastar muitos euros neles... guardo-a para ocasiões mais especiais.


A Fujifilm Instax Mini 8 é, então, uma câmara fotográfica instantânea. Vem na variedade de 8 cores: azul pastel, rosa pastel, amarelo pastel, preta, branca e, três novas cores; roxa, turquesa e framboesa. Custa em torno de 70€ e encontra-se à venda em lojas de fotografia, de electrodomésticos ou nas Fnac da vida. Eu comprei a minha na Fnac por 89€ e com um pack de 2 filmes de 10 fotos. 

A câmara é extremamente fácil de usar e de fotografar contudo, por o flash SEMPRE disparar é difícil tirar boas fotos logo de primeira. É preciso ter paciência e ter muita certeza do que se está a fotografar. Diferente das câmaras digitais, a instax imprime a foto no momento e não dá para ver o que se fotografou até a foto revelar. 

As fotos têm o tamanho de um cartão de crédito - daí o nome "mini" - então, se esperam fotos maiores tanto a Fujifilm como a Polaroid têm outros modelos de câmaras que correspondem a essa expectativa. A qualidade da foto é boa... mas não é esperado que tenha a mesma qualidade que uma digital ou uma reflex. 


Em suma, o ponto positivo desta Instax Mini 8 é a possibilidade de imprimir logo a fotografia e assim a podermos guardar connosco sem a deixar esquecida num cartão de memória ou numa pasta do computador.
O ponto negativo é mesmo o preço dos filmes. Se estes fossem (bem) mais baratos eu recomendaria esta câmara a qualquer pessoa; sendo assim recomendo a quem queira mesmo muito e tenha possibilidades de ir mantendo o vício que se torna fotografar instantaneamente.

Dois mil e quinze

quinta-feira, janeiro 01, 2015


Clichê, sim senhor, mas o facto é que um novo ano começou e, com ele, 12 novos capítulos para preencher o livro da minha vida. Dois mil e quinze começou de uma forma tão boa, leve e luminosa que eu tenho todos os motivos do mundo, neste momento, para pensar que este ano vai ser ainda mais especial do que o anterior. 

Farei vinte e cinco anos o que torna tudo muito assustador. Licenciar-me é a minha primeira prioridade e fazer todo o meu trabalho no restaurante do meu pai render muito e, com os seus frutos, poder poupar para grandes coisas é a segunda prioridade. Vou continuar a desfrutar das coisas mais simples e deixar-me de preguiça para toda e qualquer coisa. Quero fotografar mais neste novo ano e, principalmente, instantâneamente até conseguir tirar o melhor partido da câmara. Vou cuidar mais de mim e, cenas vaidosas postas de lado, vou tentar alimentar-me melhor e fazer mais caminhadas e ter horários de sono melhores. Viajar é algo que eu quero muito fazer e várias vezes. A viagem para o Rio de Janeiro vai ser fantástica mas visitar algum destino europeu está na lista. Vou fomentar a união familiar o máximo que possa para não existir brigas, intrigas como aconteceu no ano velho. Procurar ser feliz sempre e lembrar-me da minha máxima "Sozinha também brilho!" porque não há nada como estar bem comigo e só comigo. E quero inspiração. Inspiração para tudo acima e também para me permitir que por cá continue.