Beleza

Review | Too Faced Chocolate Bar Eyeshadow palette

quinta-feira, outubro 30, 2014

Se existiu uma paleta que desde que saiu roubou o meu coração, foi esta. Nem Naked's, nem The Vice's da Urban Decay chegaram aos pés da vontade e desejo que eu tinha em obter a Chocolate Bar. Contudo, a procura não foi fácil e depois de muito me convencer que não me importava de pagar mais caro, lá tive que a encomendar online. (*)


Encomendei-a pela loja online portuguesa Glamourosa e custou-me 51,22€. Não podia estar mais satisfeita com esta preciosidade e correspondeu a todas as minhas expectativas: as sombras são muito pigmentadas, não são farelentas, as cores são lindas e duram bastante mesmo sem primer (que ainda é uma coisa que eu dispenso na minha maquilhagem dos olhos). A paleta tem cheiro de chocolate e embora isto seja um factor nada importante, é uma delícia abrir a paleta de manhã para me maquilhar e ser brindada com o perfume de um leve cacau. Aliás, estas sombras são infundidas com cacau o que as tornam um anti-oxidante. Além de nos deixar belas ainda cuida da pele dos nossos olhos: é, ou não, uma maravilha? Outros pontos positivos é a divisão entre tons quentes e frios de cores e o facto de possuir tanto sombras mate, como com glitter e como com brilho. É de uma versatilidade imensa e eu duvido que seja possível deixá-la de canto.


Se eu recomendo esta paleta? Recomendo e farto-me de recomendar, principalmente para as amantes de sombras neutras como eu sou. Obviamente eu não precisava de mais paletas neutras mas fiz desta compra a paleta que vou mais usar e tirar partido como já o tenho feito. Desde que a recebi há coisa de quase 15 dias que a tenho usado todos os dias e sem repetir qualquer maquilhagem: a combinação de sombras é desmedida e proporciona looks para o dia como mais arrojados para a noite. 

Primeira maquilhagem que fiz usando a Chocolate Bar e com o toque de cor da sombra mais roxinha que, saindo da minha zona de conforto, fez com que eu adorasse
Melhor paleta de sempre? Para mim, sim. É a minha preferida acima de todas e eu não podia estar mais contente com ela no meu cantinho e na minha singela colecção.  A Too Faced é uma marca que está a crescer muito em mim. Em breve vou receber um set de Melted Lipsticks deles que depois resenho e, para quem não se lembra mais, já fiz anteriormente uma review de uma paleta deles que usei durante o Verão: À la mode eyes.
Espero que esteja tudo bem com vocês!

Post Scriptum: Estou sem header no blogue porque cansei da que antes estava. Alguma alma caridosa quer fazer-me uma? Se possível com a imagem de uma tulipa amarela porque é o nome do blogue. 

(*) Esta paleta vai invadir as Sephora portuguesas com toda a força durante estes últimos meses do ano. Aproveitem!

segunda-feira, outubro 27, 2014


Oh noes!  Está oficialmente aberta a semana da desgraça e eu estou oficialmente em modo de estudo e de esforço. Amanhã durante o final da tarde tenho o meu primeiro teste, de Economia Política Internacional e na quinta de manhã - o que piora tudo porque eu penso funcionar melhor de tarde - o de Direito Internacional Público. Estou nervosa. Para economia penso sentir-me preparada: estive atenta em aulas, tirei apontamentos, fui lendo em casa e já estudei um pouco. Sei bem os conceitos, sei diferenciar as teorias aprendidas uma das outras e acho (!) que as sei aplicar... mas o medo de falhar quase me mata. Quanto a direito, comecei a ler umas coisas mas não estou nem sequer perto de me sentir confortável para encarar uma prova. Socorro. Já pode ser sexta-feira de novo?

Uma coisa é certa, se não correr bem posso afundar as mágoas nos doces do Halloween.

segunda-feira, outubro 27, 2014


O problema é mesmo esse: eu não fui talhada para viver a vida como se não me importasse com nada. Eu sou aquele tipo de pessoa que sofre imenso por antecipação, que leva a peito tudo o que me falam e que se importa com cada ínfimo detalhe seja lá a que respeito diga. Eu importo-me com o ontem, com o hoje e com o amanhã. Importo-me, especialmente, com quem não merece. Vivo preocupada com tudo e todos e sinto que me descuido, a mim, nessa preocupação. Precisava de mudar isso mas é como se eu, já geneticamente, não fosse feita para isso. Como faço? Tem o detalhe de também ser amedrontada para fazer isso, para deixar de me preocupar. Como lido?

As revistas em vez de dúvidas de sexo deveriam possuir um "diário para as questões existenciais".

sábado, outubro 25, 2014


O mais caricato deste Outono sou eu, a pisar as folhas secas caídas das árvores enquanto uso um par de sandálias. Pior só mesmo quando estou de havaianas.
Para a semana - dizem os meteorologistas - vem chuva com temperaturas de 27 graus. Saudades do clima temperado marítimo. Além do novo acordo ortográfico em que passamos a escrever mais brasileiro do que português de Portugal, também estamos a imitar o clima tropical?  Talvez o culpado não seja São Pedro mas Dom Pedro. Got it?

sexta-feira, outubro 24, 2014


Às vezes, na vida, é preciso descer um degrau para conseguir subir os próximos dois. Gosto de pensar assim; que a vida é uma escada pronta a subir mas todos os degraus que por vezes temos que descer são compensados com uma nova subida e uma conquista de novos degraus. Ficam as lições, ficam as experiências... essas que nos ensinam a caminhar mais e mais cautelosamente.

sexta-feira, outubro 24, 2014


Quando penso no ensino básico do 5º ao 9º ano, lembro-me que 5 professores marcaram-me. Uns pela simpatia, outros porque me cativaram para a matéria, outros porque eram simplesmente os melhores professores, outros pelos quais chocavam comigo e tínhamos uma relação de amor-ódio.
Já se passaram praticamente 10 anos desde que fiz o 9º ano (Socorro, estou mesmo velha...) e hoje, numa noite no restaurante em que só esperava stresses porque os estudantes das universidades e politécnicos do Porto estavam por Braga numa actividade da praxe e tinham lá jantar marcado, chegou uma mesa de três pessoas para jantar. A roupa preta e o cabelo chamaram-me logo a atenção e quando me aproximei da mesa, dei por mim a falar "Eu conheço a senhora. Não sei se tenho certeza mas eu conheço-a" enquanto tirava os pedidos do que iriam jantar.
- Ai sim? De onde me conhece?
- Você ainda é professora de Fisico-Química?
- Sou.
- Foi minha professora. Em 2003, 2004 e 2005.
- Ah!
E seguiu-se uma conversa risonha que me deixou muito contente. Obviamente ela não se lembrava de mim. Simpatizamos. Antes tínhamos uma relação de amor-ódio e aquela professora marcou-me por isso. Ah! Mas foi graças a ela que eu tenho alguns conhecimentos (ainda nos dias de hoje) de física e química pois quando passei para o secundário, enveredei pelas letras. No final do jantar veio dizer-me que ficou muito contente por a ter reconhecido depois daqueles anos todos. Sei lá, encheu-me o peito deixar alguém contente.

Bucket list #8

quarta-feira, outubro 22, 2014


Receber um ramo cheio da minha flor preferida, na minha cor preferida, sem nenhum motivo, só porque sim. Só porque me quis ver sorrir.

quarta-feira, outubro 22, 2014

"Nobody is ever too busy. If they care, they'll make time for you"

Para mim "Estou ocupado" é uma desculpa esfarrapada. Seja na amizade, seja no amor. Quando se gosta, quando se importa, faz-se tempo. As horas para quem se ama não têm 60 minutos, têm os necessários; até se inventam minutos. Cria-se tempo, momentos. Dá-se. Recebe-se.

terça-feira, outubro 21, 2014


Por isso que eu uso batom escuro e roxo mesmo tendo quem me diga "Pareces uma bruxa" e ache que não me fique bem; só por exemplo. Eu sinto-me bem, eu sinto-me gira.

Desafio | Perceber quem queres conhecer

segunda-feira, outubro 20, 2014

A Ana Rita dos blogues "Sem Tempo" e "70kg de bolinhos" disse que gostaria de me conhecer através deste desafio "Perceber quem queres conhecer".

Como nomeada, vim fazer a minha parte do desafio. As regras são simples:
1. Dizer 4 pessoas que gostaria de conhecer
2. Dizer o porquê de querer conhecer estas pessoas
3. Ir nos blogues dessas pessoas e avisá-las de que as nomeei para o desafio

Ora bem, para começo de conversa a Ana Rita é uma das pessoas que mais gostaria de conhecer do mundo dos blogues. Ela parece ser uma querida e identifico-me muito com ela em algumas coisas. Mas... Acho que preciso nomear outras quatro, não é?

Gostaria muito de conhecer a Ace do blogue "Cubo de Rubik". Identifico-me bastante com ela, adoro o blogue dela, ela parece ser aquele tipo de pessoa frontal que diz o que pensa e como pensa na hora e eu aprecio muito isso.

A Carolina do blogue "Lucky Thirteen" parece ser alguém muito interessante de conversar sobre o que quer que seja, como dá para ver pelo blogue dela onde tem sempre algo a dizer desde as polémicas do mundo actual até aos desejos do que quer vestir para a próxima estação. E ela é de Braga, minha conterrânea! 

A Mafalda do blogue "Malmequer" porque ela parece ser uma perfeita companheira de viagens e saídas com as sugestões do que fazer e quais espaços a visitar em qualquer lugar.

E a AVMademoiselle do blogue de mesmo nome. Sigo-a tem anos desde outros blogues e ela continua a parecer uma pessoa tão calma e querida que eu gostaria de ter no meu grupo de amigos.

E acho que é isto. Obviamente tem mais bloggers que eu gostaria de conhecer mas regras são regras, hahaha.

beauty

Curvy Diaries | Fancy bikestar

segunda-feira, outubro 20, 2014

"Fancy" por causa do colar e o chapéu. "Bikestar" porque o casaco de cabedal falso e as botas pretas, inspiram os motoqueiros dos anos 70s.

Este é mais uma publicação de um outfit que tenho usado até regularmente, trocando apenas as cores e os detalhes. É quentinho, protege da chuva e não pesa no corpo.


Apesar de achar o chapéu pequeno para o meu tamanho (digamos assim, haha), as vezes que o usei fui tecida de elogios de que me ficava muito bem, então ele tem-se tornado num amigo quando, pelo menos, o meu cabelo está num mau dia. Já mencionei em uns posts atrás que eu tenho muitas blusas e camisolas brancas e uso quase sempre uma todos os dias porque adoro. Hoje não foi excepção. As leggins já se tornaram numa peça de vestuário que eu uso e abuso (tem quem me chame ousada) e as botas são dos pares de calçado para esta e a próxima estação. O casaco de cabedal é para completar o look e é também uma peça indispensável no armário.

Chapéu: H&M, 10€
Blusa: Primark, 13€
Leggins: Primark, 8€
Botas: São Costureira, 30€
Colar: H&M, 8€, salvo erro
Casaco: Primark, 18€

sábado, outubro 18, 2014


 Odeio imprevistos - aqueles que surgem quando não deveriam surgir e só servem para deitar por terra toda e qualquer felicidade com certa expectativa - e a sensação de frustração em não conseguir fazer nada para os deter. Simplesmente odeio. Parece que, por vezes, o universo conspira contra mim. Podia ser bom mas não é.

Tatuagens e os seus quês: antes, durante e o depois

sábado, outubro 18, 2014

Antigamente as tatuagens eram vistas como uma forma de vandalismo. Actualmente são uma forma de arte e uma maneira de cada um se ir expressando através do seu próprio corpo. É aquele caso de "mudam-se os tempos, mudam-se as vontades". Contudo é muito normal ainda nos dias de hoje encontrar pessoas que simplesmente pensam "Estás a estragar o teu corpo!" e/ou "Deus nos criou sem tatuagens, colocar isso no corpo para sempre é ir contra a Sua vontade" e outros blablablás.

Para mim, são uma forma de me expressar e eu tenho duas e - se a vontade e a certeza de querer mais, chegar - quem sabe terei mais no futuro. Mas fazer uma tatuagem é só marcar com um tatuador, escolher um desenho e enfrentar as agulhas? É. É e não é.

sexta-feira, outubro 17, 2014

Segunda-feira, vem morar no meu cantinho. Finalmente.
Numa história curta: desde que esta paleta saiu em meados de Abril que eu andei numa busca por ela. Aqui por Braga nunca a encontrei nas Sephoras e, nos sites internacionais, ficava sempre acima de 60€ e eu não queria de forma alguma gastar tanto dinheiro assim e esperar mais de duas semanas por ela. Sem contar que é um produto frágil para vir todo quebrado pelos correios internacionais. E também tinha a questão da alfândega. Enfim, quase dei por perdida quando descobri uma loja portuguesa online que tinha a paleta em stock e por apenas mais seis euros do que seria comprar na Sephora. Obviamente perdi o amor a 50€ e comprei nesta última quinta-feira convicta de que me vai ser não só a minha paleta favorita mas também aquela que eu vou mais usar. Consigo imaginar já uma infinidade de maquilhagens com ela. Uma prenda de mim para mim. Comprei também um produto para o cabelo e o resto das novidades ficam para depois. Do mais, estou ansiosa... muito ansiosa.

Randomness

sexta-feira, outubro 17, 2014


Se tem uma coisa que eu gosto, são velas. Tenho mais de meia dúzia espalhadas pelo quarto e hoje comprei mais esta da marca Glade com o cheiro "Warm and Spice" e posso já dizer-vos que o ambiente ao meu redor, parece cheirar de um bolo acabado de sair do forno com um toque de canela. Então estou eu, a minha mantinha nova cheia de padrões de animais, a minha vela, o meu portátil e os meus pensamentos. 

Primeiro pensamento da noite é que rainhas não competem com plebe, então eu vou ficar no meu canto e não vou repetir comportamentos dignos de circo.

Segundo, o meu blogue tal e qual como ele é, é um monte de retalhos meus. Não segue uma ordem específica de temas, não tem um objectivo por si só e não pretendo nada com ele a não ser extravasar o que me vai na mente e/ou compartilhar aquilo que gosto. Fugir um pouco da rotina de trabalho, universidade, tarefas domésticas. Agradeço assim a quem me tem seguido ao longo destes quase quatro meses, a quem só fica de passagem e me visita todos os dias e a quem me pára na rua para dizer que gosta muito do que eu vou escrevendo.

Os restantes pensamentos ficam por conta de estar stressada com esta chuva (pois não seca as roupas na varanda) e divididos entre a época de testes que está a aproximar-se e eu preciso de concentrar-me e delinear um plano de estudos para que saia bem sucedida. Há também espaço para sonhar com Paris que é uma cidade que eu quero visitar e talvez esteja a planear uma viagem até ao fim do ano para conhecer a cidade das luzes. Mas sei lá, rascunhos.

Já estamos na sexta-feira e, credo, como esta semana passou a voar.

quarta-feira, outubro 15, 2014


Digam-me lá, qual o melhor livro que vocês já leram e recomendar-me-iam?

Comida

Culinária | Biscoitos de (quase) Cape Cod

terça-feira, outubro 14, 2014

Eu estou a ler um livro chamado "Enquanto houver estrelas no céu" da autora Kristin Harmel e além da história me estar a prender muito e a ser tão interessante que eu preciso me conter para não o acabar logo, este livro prima pela originalidade de conter umas receitas pelo meio relacionadas à confeitaria North Star - que é um negócio da família da personagem principal da história.

Ora, qual Catarina seria eu se não me desse para experimentar uma das receitas? A mais fácil pareceu-me os "Biscoitos de Cape Cod". Como eu não tinha arandos secos nem encontrei pepitas de chocolate branco no mercado mais próximo, usei apenas e em substituição das duas, pepitas de chocolate negro. Bom, o resultado não poderia ser melhor. Saíram uma delícia!

Ingredientes:

2 ovos grandes
2 chávenas de açucar mascavado
3 chávenas de farinha
1/2 colher de chá de essência de baunilha
1/2 colher de chá de sal
2 colher de sopa de natas
1 pitada de fermento
1 chávena de pepitas de chocolate branco
1 chávena de arandos secos
115 gramas de manteiga à temperatura ambiente

Preparação:
Colocar o forno a uma temperatura de 190ºC para ir aquecendo. Começa por, numa bacia grande, misturar com a ajuda de uma batedeira a manteiga com o açucar. Assim que virar uma massa homogénea, junta a baunilha, os ovos e as natas. Bate bem até tudo ficar bem misturado. Em seguida, peneirando a farinha com o fermento e o sal vai juntando no preparado anterior enquanto batendo com a batedeira. Ao chegar a certo ponto, vai ser difícil continuar com a batedeira. Assim, continua a mexer com a ajuda de uma colher de pau ou de um salazar.  
Depois é só juntar os arandos e as pepitas de chocolate e misturar bem para ficarem distribuídos pela massa. (De novo, como eu não encontrei as pepitas brancas nem os arandos, fiz apenas com as pepitas de chocolate negro)
Forrar um tabuleiro com uma folha de papel vegetal e com a ajuda de uma colher, ir colocando pequenas porções da massa ao longo deste, deixando espaço entre as porções de, pelo menos, 2cm. 
Deixar cozer, no forno à mesma temperatura entre a 12 a 13 min.
Retirar do forno, deixar esfriar e então servir.

Voilá!
São um óptimo acompanhante para um chá nos dias mais frios. Experimentem!

domingo, outubro 12, 2014

"Ela faleceu vai fazer 3 anos em Março. E, sabe, eu ainda estou a tentar acostumar-me e é muito difícil. Ainda durmo com a almofada dela ao lado da minha e às vezes acordo de noite com vontade de a abraçar e ela não está lá. Por momentos penso que ela foi só à casa de banho e já volta. Tenho muita saudade."

Senhor de 83 anos que desconheço o nome

Esta foi a coisa mais bonita que ouvi hoje.

"Ao início parecias arrogante"

sábado, outubro 11, 2014

Se por cada vez que eu ouvisse isto ganhasse cem euros, neste momento poderia estar de Mercedes. Não? Eu não sou arrogante só para começo de conversa. Nem fria, nem distante, nem nada do que se pareça. Afinal só parece. Eu sou apenas muito reservada e eu não me abro a qualquer pessoa e sinto uma coceira em mim em pensar ser íntima com quem não sabe nem a data do meu nascimento, por exemplo. Eu odeio forçar intimidade com as pessoas que não conheço tão bem, então elas têm de mim o que elas pensam ser o lado arrogante. Estava a jantar hoje com as minhas colegas de trabalho ao que uma delas confessa que quando veio para cá trabalhar tinha uma ideia de que eu era arrogante, dura e até um bocado convencida. Não, nada disso. Para quem realmente me conhece sabe como eu sou um coração de manteiga, como eu sou bondosa, como eu gosto e me proponho sempre a ajudar, como eu dou mais de mim aos outros do que a mim mesma, como eu sou chorona com as coisas mais pequenas como um simples "obrigado" de alguém ou um elogio de quem eu admiro muito. E eu sou só muito frontal, também. Eu não gosto de "nhenhices"; se alguém me pede uma opinião eu falo com naturalidade o que penso. Ás vezes dói, eu sei. Mas é só o meu jeito. Confessei à minha colega de trabalho "Quase toda a gente que conheço diz isso de mim" e expliquei "Eu sou só reservada, não forço intimidades e fico muito na minha. Eu não me abro para qualquer pessoa que não me dê confiança para isso". Mas isso é bom. É a minha defesa. Para quem se interessar, tem que bater muito com a picareta na capa de gelo para descobrir o meu "eu", aquele verdadeiro que eu sei que tenho. Que as pessoas realmente próximas a mim sabem que eu tenho.

Foi por isso que a Andreia - das pessoas que me conhece melhor no mundo - me disse "É preciso uma chave muito especial para alguém te abrir e reconhecer como tu és. Tu tens esse ar frio mas tu és a pessoa mais sensível que eu conheço".

Provavelmente eu não passo essa visão fria e desprovida de amor e compaixão no mundo da blogosfera onde eu me abro aqui como se ninguém que eu conhecesse estivesse a me ler; mas para quem bate comigo de frente, que não se assuste. Como me disseram um dia "És uma caixinha de surpresas!".

Quando é que chega Novembro, mesmo?

sábado, outubro 11, 2014

Este mês de Outubro está a ser uma desgraça completa. É só melancolia. Agora, para colocar a cereja no topo do bolo, a minha nova querida tatuagem desencadeou uma reacção alérgica. Anti-histamínicos, novos cuidados a ver se melhora e não se torna numa infecção. Começo a pensar que estou a ser alvo de uma macumba bem feita e olha, sinto-me de peito cheio para afirmar que acredito muito nisso. Credo...

Sexta-feira, 10

sábado, outubro 11, 2014

Tecnicamente hoje é dia 11 já mas já que eu ainda não dormi e ainda não é de manhã, não vou considerar sábado. Então, hoje - sexta-feira - foi um dia que teve tanto de bom como de mau. No final do dia eu estou com um braço plastificado em película aderente e dorido, com uma dor de cabeça e o coração magoado. 

Tinha vos contado ontem que hoje eu iria fazer duas novas tatuagens mas só fiz uma (e retoquei a primeira de todas) pois não tive tempo para mais. Ou seja, a tatuagem que iria fazer junto com a minha melhor amiga ficou para outro dia. Mas aí virá. Eu gosto muito de tatuagens. Adoro ver, adoro a arte e acho que sempre quis fazer uma desde que me lembre. Mas sabem como é fazer uma tatuagem - é para sempre. No início queria uma coruja pois acho que tem a ver muito comigo no quesito de ser observadora mas se aprendi uma coisa é que se estamos sempre a adiar é porque realmente não queremos aquele desenho para sempre na nossa pele. Foi então que no meu aniversário de 24 anos fiz a primeira que acabou por ser uma frase de uma das minhas músicas favoritas. A segunda... eu mostro depois (a não ser que já tenham visto no instagram) quando ela não estiver inchada, vermelha e a cicatrizar mas tem um dos significados mais lindos e verdadeiros para mim. 
Enfim, fazer a tatuagem e retocar a outra foi parte boa do meu dia. Assim como comprar um novo livro - Enquanto houver estrelas no céu - e assim como os breves momentos que eu passei com os meus tios e primo na hora de trabalho no almoço. E o chocolate que comi só porque é chocolate.

O resto foi para esquecer. Trabalhar hoje foi desanimador, andar nos autocarros hiper mega cheios foi sufocante, o tempo ora quente ora frio fez-me secar a garganta, a fila nos CTT e a sua inutilidade em lá ter ido foi para esquecer e a inconstância, oscilações ou whatever de certa e determinada pessoa deu para me fazer chorar.

Acabo o dia com um comprimido de ibuprofeno que talvez ajude na dor do braço e de cabeça - aguardo ansiosamente o seu efeito - e com o meu novo livro, enquanto enroscada nas cobertas da minha cama. Amanhã é outro dia e se tem alguém que merece a minha boa disposição e o meu sorriso... sou eu mesma.

quinta-feira, outubro 09, 2014

Amanhã, sexta, vou rabiscar-me de novo. Aproveitarei para retocar a primogénita - que ainda não retoquei desde Abril - e para dar-lhe duas irmãzinhas. Sabem como é que dizem... dá azar ter tatuagens em número par. Espero ter tempo suficiente ou terei que fazer em dois dias. E espero também estar num bom dia. Um dia, se se interessarem, faço uma publicação sobre o "ser tatuada" e as minhas experiências que ainda são poucas. Wish me luck!

quinta-feira, outubro 09, 2014

Devia ter percebido que as coisas mudaram quando deixaste de levar mais de uma hora para conseguires te despedir de mim. Boa noite, boa noite 2 (...) boa noite 15.

quarta-feira, outubro 08, 2014


I'm someone who is looking for love. Real love. Ridiculous, inconvenient, consuming, can't-live-without-each-other love.
Carrie Bradshaw

Bucket list #7

quarta-feira, outubro 08, 2014

Ter um apartamento pequeno e aconchegante

Este é um dos desejos e objectivos a cumprir que têm tomado mais da minha vontade de coisas que quero e quero para ontem. Sinto que preciso de um espaço só meu sem que ninguém me dê ordens e reclame do que eu faça ou deixa de fazer. E o melhor? Sinto-me completamente preparada para essa nova fase. O meu pai está reticente - sim, até já conversei com ele a respeito até porque a minha maior motivação é deixar de viver no mesmo tecto que pessoas desprezíveis, que não ele é claro - contudo eu até já andei a ver T0s ou T1s por aqui perto. Quem sabe para o próximo ano?

terça-feira, outubro 07, 2014

 "Oh menina, tome aqui uma gorjeta pela sua simpatia!"

Carneiro com ascendente em balança

domingo, outubro 05, 2014

Hoje ao jantar, começamos a falar de signos, ascendentes e personalidades e se isso influencia ou não. Para vos ser sincera, se apanhar um jornal ou uma revista eu gosto de ler sobre o meu signo como se isso fizesse alguma diferença no meu dia, semana ou mês... Mas, vá, foi por curiosidade. Dessa forma, levada por essa curiosidade, fui encontrar algum texto sobre a personalidade do meu signo solar, o Carneiro e o seu Ascendente, Balança. Senti que me lia.

O Ascendente Balança traz à personalidade de Carneiro um pouco de acalmia, ele é para o Carneiro um paliativo para os seus excessos. A Balança dá o equilíbrio e a graciosidade que se aproxima da perfeição. O Carneiro puro é um rústico e o Ascendente Balança torna-o mais harmonioso, dá-lhe um grande requinte nos gostos, nos hábitos, nas atitudes e no vestir. Se a graça e a elegância que a Balança lhe confere não trouxer grandes alterações psicológicas, poderá pelo menos melhorar o seu aspecto físico. O Carneiro/Balança está totalmente centrado na afectividade, quer a felicidade para si, mas também será capaz de se sacrificar pelo outro, poderá até arriscar-se a viver apenas para o próximo. Ele tem necessidade de amar e de ser amado, e se está feliz é capaz de dar, de conquistar toda a gente. Não há ninguém mais apaixonado ou romântico. Mas se as coisas correm mal sentimentalmente, corre o risco de sofrer depressões, de adoecer, até de se entregar a alguma forma de evasão, ou então, positivamente, de se dedicar com todas as forças à caridade. A combinação destes dois Signos, tanto pode favorecer o equilíbrio das qualidades da Balança, como aumentar a impulsividade e as mudanças do Carneiro. A sua natureza é inquieta e pode provocar desgaste físico e mental. O Carneiro/Balança não é bom a trabalhar sozinho, precisa de companhia, talvez até de um sócio, mas tem garra e tacto. Gosta de cuidar do conforto e do bem-estar dos outros, pelo que poderá ser comissário de bordo, hospedeira, bartender ou estilista. Aliando um talento criativo poderá dedicar-se à decoração de interiores ou pode mesmo ligar-se ao ramo de hotelaria.

 Vocês acreditam nestas coisas? Eu identifiquei-me imenso!

sábado, outubro 04, 2014

O que tiver que ser, será. Se tem uma coisa que eu sempre acreditei fielmente é que tudo acontece por uma razão e quando alguém sai da nossa vida é porque alguém novo, irá chegar. Okay, isso é uma frase do Paulo Coelho mas eu acredito nela. É como aquela situação do "Fecharam as portas? Abre a janela!". Na verdade, isto é só uma visão optimista de encarar as coisas. Mas por que eu haveria de me definhar ao sofrimento? Já o tive demais, não é? Preciso só pensar que "Me livrei!" e que não devo mais jogar moedas em fontes sujas. Não vale a pena. A vida é feita dessas coisas e aprende-se com elas, para o bem e para o mal. Juro para mim que vou ser mais cautelosa onde coloco o meu coração - que é o machucado da história - mas não vou impedir de o deixar liberto e, como borboleta, pousar a descansar numa flor que saberá cuidar e proteger e sarar todas as feridas. Ou, como um pássaro a escolher uma árvore para fazer o seu ninho; num local seguro e longe da maldade.

Reflexões notívagas, a ti

sexta-feira, outubro 03, 2014

Serve de palco a cama onde estou deitada, a caneca e o chá verde quentinho que estou a beber para dormir tranquila - ou tentar - e o ronronron do gato deitado ao meu lado. Já está quase na hora do diabo que eu considero as três horas da manhã.

Limpei as lágrimas e acalmei embora o meu coração esteja no maior alvoroço de sempre. Agitado, dorido. O que fica é sempre o mesmo: "Eu sou uma idiota". Não deveria te ter entrego o meu coração, nunca. Juro que se eu pudesse nunca tinha te deixado entrar na minha vida. Foste o maior acerto e ao mesmo tempo o maior erro.  Mais o erro, na verdade, porque acertos dão certo e cá permanecem. Se fosses um "acerto" eu teria vontade de celebrar, colocar-te numa moldura e pendurar-te na parede como um troféu do "maior acerto de sempre". Mas foste um erro, uma ilusão boba do meu eu apaixonada, só me deixaste dor e eu - se pudesse - faria de ti um papel e amachucava-te directamente para o caixote do lixo ou - como se quisesse te fazer sentir um terço do que me deixaste - passava-te directamente para a trituradora de papéis e te deixava ser pedacinhos pequenos e insignificantes e que jamais, juntos, voltariam para me perturbar.
Já me tinhas dito, tem um mês, que eu não servia mais em ti. Já tinhas colocado as cartas em cima da mesa e falado para eu ir. E eu fui e não fui e fui ficando até ver que nenhuma diferença mais fiz e foi melhor dar-se tudo por acabado. Levar-te-ia para o ecoponto mais próximo e te faria sumir entre todos os papéis e levar-te a desaparecer da minha vida! Mas, em vez disso, tenho um cérebro com uma capacidade de memória que me faz lembrar de ti até durante o sono e me faz acordar a querer desejar te falar o quanto sinto saudades. Mas não queria sentir, queria e vou, apagar tudo nem que demore a minha existência. Não é bom viver a achar que o milagre de me amares vai acontecer; nem conviver a achar que o erro que se transformará no acerto. Enquanto acerto foste ilusão e eu não merecia isso.  Mas é do que a vida é feita, não é? De erros e de acertos então tenho que aceitar que seja lá o que foste, fizeste parte e, caso um dia eu escreva um livro sobre mim, teria que te mencionar... assim como mencionaria os meus dentes partidos quando tive um acidente de bicicleta, por exemplo, ou a primeira vez que levei um estalo da minha professora da primária. São factos. Mas, ah... Queria que não tivesses sido. Se eu voltasse atrás gostaria que o meu eu de hoje me aparecesse em visão e falasse "Sai! Vais sorrir mas vais sentir ódio por um dia teres sorrido quando te aperceberes que foi fugaz e te restará um coração quebrado. Que não, não é para ser. Destino? Ha-ha!". A idiota aqui, eu, achava ser destino porque nunca quis acreditar que nessa cagada toda que foi um dia te encontrar, tivesse nada de especial; mas, deve ter sido por insistência minha porque talvez o nosso destino fosse ter apenas trocado um "oi" e deixado para lá. Teria sido melhor. (O gato há muito que parou de ronronar e já passa da hora do diabo e o meu chá já deve estar salgado das lágrimas)

Adeus... sei lá, nem sei mais o que escrever.
Queria não saber mais de ti.

Recap | Instagram de Setembro

quarta-feira, outubro 01, 2014

Terceiro mês a fazer este tipo de publicação e tenho a dizer que este Setembro foi o mais complicado de fazer uma compilação de alguns momentos para esta rubrica do blogue. Isto porque, presumo, por ser o mês do recomeço das responsabilidades, tenha deixado de haver tempo ou paciência para fotografar todos os momentos do mês. E também não é que houvesse muitos momentos para registar, principalmente aqueles divertidos... Foi um mês mais dedicado ao trabalho - o mês de Setembro foi mais exaustivo que o quente Agosto no restaurante - e ao início das aulas e isso reflectiu-se no Instagram. 


1. Voltei a por os pés no cabeleireiro pois precisava de mudar de visual. Deu-me uma força incrível fazer algo que eu queria fazer por muito tempo antes: testar o cobre. 2. Eu e a Andreia. Este mês foi óptimo para nós duas, foi quase como se um casal renovasse seus votos de casamento; nós renovamos a nossa amizade. E nós sabemos. São quase 20 anos e é óptimo saber que, apesar de tudo, é para sempre. 3. Um pequeno-almoço que se vai repetir por alguns meses enquanto tiver aulas de manhã cedo às quintas. 4. O gato a fazer-me inveja antes de um dia de trabalho. 5. Eu, meiga, nas fotos da publicação do último outfit do blogue que podem visitar aqui. 6. Entre limpezas de pele e tratamentos de rosto, dediquei uma tarde aos meus queridos pés. O resultado. 7. A Catarina também usa óculos, ou deveria usar todos os dias! 8. Outono que se preze, tem castanhas no canudo. 9. Uma foto no espelho antes de sair para a universidade quando estava a estrear o casaco novo.

Agora venha Outubro.